quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Mónica Belluci para Dolce&Gabbana


Mónica Belluci, aos 48 anos, é o novo rosto da linha de cosmética da casa italiana Dolce&Gabbana. E a estreia faz-se acompanhar do lançamento de uma edição limitada de batons, com o seu próprio nome: Monica Lipstick Collection. “Adoramos a Mónica, com quem temos trabalhado nos últimos 20 anos. A sua beleza é intemporal. Ela expressa perfeitamente a mulher Dolce&Gabbana”, disse Domenico Dolce comentando a escolha para a colecção de ‘make-up’ Primavera/Verão 2012. Já Stefano Gabbana acrescentou: "Ela é arrebatadora – um verdadeiro ícone italiano”.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

São Paulo Fashion Week O/I

TRITON

A marca apostou no estílo retro, desportivo e urbano, cheio de detalhes como recortes e brilhos. Uma alfaiataria feminina, reinterpretando o masculino, mas de uma forma desconstruída. Muito brilho nos bordados e vidrilhos em franjas e no tricô. O grafismo colorido em tons e tecidos foi usado de uma forma harmónica.






HUIS CLOS

Esta é uma colecção minimalista e extremamente elegante. A marca elegeu como materiais, as malhas, a renda e o veludo. Chama à atenção com uma série de vestidos de veludo de cristal com mangas de princesa... os jump suits, imagem de marca da grife, em diferentes comprimentos, inclusive com rendas, alongando a silhueta. E na cartela de cores: areia, verde claro e ouro velho.






COLCCI

Os couros aparecem em looks monocromáticos. Aparecem também saias lápis, em vestidos e blusas de tricô maxi. E na cartela de cores têm os tons terrosos, mostardas, laranjas, amarelos, ocres, e o verdes azeitona e os militares







MARIA BONITA

A marca inspirou-se no Norte do Brasil, com índios, seringueiros, ribeirinhos e castanheiros, um povo mais simples para criar. Casacos de lã com feltro, além de vestidos e saias que trazem rendas com canutilhos coloridos e efeitos metalizados. Com texturas ricas de silhueta minimalista e retangular, a ideia da grife foi inspirada na Natureza com cores ocres, marrons, verdes musgo e pretos






IÓDICE

Inspirada no livro do Gianni Versace "Rockland Royalty", a colecção veio com peças sexys e com um toque de rock. Vestidos de comprimentos diferentes, com decotes, fendas, assimetria e recortes combinados com transparências, brilhos e materiais em couro, lamê, malha de metal de couro, fios de lurex e estampas de pele de cobra, e materiais como couro e verniz. Na cartela de cores tons metalizados, preto, branco, e tons de jóias. Bem bacana os acessórios de serpentes






R. ROSNER

A colecção inspirada num livro de ilustração, fez com que a marca trouxesse preciosos bordados com cristais, transparências e muitas rendas tingidas manualmente. Numa colecção exclusivamente para noite, não poderiam faltar tecidos nobres, como organza, cambraia de seda, tafetá, tule e rendas. Na cartela de cores muito preto, champanhe, marinho, uva e amarelo




TUFI DUEK

Na construção da silhueta, inspirado nos foguetes, a marca alonga o corpo da mulher, com vestidos muito justos e na altura do joelho, com ombros arredondados e volumes. O interessante também são os volumes e texturas que cobrem os dorsos de vestidos e casacos obtidos por costuras com elástico, ganhando bordados de efeitos lunares. A colecção tem brilho, fios metalizados, assim como peças em couro






FERNANDA YAMAMOTO

A Grife inspirou-se no período Renascentista no séc. XV e nas pinturas a óleo que retratam essa bonita época. Misturou as formas dos recortes e fendas que mostram um pouco da pele. O tecido jacquard com brilhos e sem brilhos. O próprio tecido desenha listras largas, que são trabalhadas em formas geométricas. Uma alfaiataria urbana e minimalista pontuada por canutilhos. Na cartela de cores laranjas, pretos, vermelhos, ouros e azul marinho





AMAPÔ

Num desfile influenciado pelas artes plásticas, com estruturas armadas por tiras, faixas e transparências, e também, em tecidos que fazem um jogo de luz e sombra. Com roupas bem próximas ao corpo e recortadas em formas angulosas marcam a silhueta, e as sobreposições de armações destacam-se. Já mais comercial, o Masculino vem com volumes em calças clochard usadas com camisas e casacos justos. Nas cores são usados os brancos, mas também entram os estampados, os tecidos metalizados em rosas, amarelos e corais, dando uma referência ao brilho dos cristais






ANDRÉ LIMA

Com looks ultra sofisticados em um mix de tecidos, estampas e texturas, o autor inova usando o tweed com brilhos aplicados. Conhecido por misturar diferentes motivos na mesma peça, os vestidos vêm com muitos volumes, ou mais estruturados e colados ao corpo. Mulheres como Deusas, Divas ou Sereias. A Alfaiataria com cintura marcada, casacos com recortes, camisas com detalhes em ombros ou em golas. Na cartela de cores: preto, ouro, amarelo torrado, laranja e tons terrosos






Em síntese, o SPFW Outono/Inverno 2012, foi uma grande mistura de tecidos, texturas, volumes. Mistura de peças desportivas, até às mais sofisticadas. Foram apresentadas muitas rendas e muitas cores, veludos de seda, couro, peles e pelos aplicados nas peças , tecidos metalizados em fios, e em tecidos impressos. Muitos brilhos nas aplicações das peças com vidrilhos, cristais e bordados. As transparências também são vistas em muitas peças até, com certo destaque. Os ombros em forma arredondada destacaram-se em muitos looks. Observámos saias longas que prometem ser muito usadas, nesta estação, e vestidos justos, amplos ou acinturados ou rodados. Já nas calças, casacos não houve mudanças. As cores escuras às vezes misturadas, mas na maioria para os tons escuros, como pretos, cinzas, marrons, terrosos.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Belcanto, com Avillez!


Falaram-me na semana passada ao "Belcanto", ao lado do São Carlos. E surpresa das surpresas, ao que percebi já não é o velho “clube de cavalheiros”, de pesadas cortinas. O "Belcanto", já com mais de meio século de história, é o novo restaurante de José Avillez no Chiado, em Lisboa. O chef promete prosseguir a cozinha que fazia no Tavares e que lhe valeu uma estrela Michelin.
Vou experimentar passar por lá :)

Aqui vão algumas informações:

Vitamina C, para que te quero!!!

A pele não reconhece o valor ou a raridade dos ingredientes que os cremes cada vez mais contêm - ouro, ou baba de caracol, por exemplo. A pele só sabe da eficácia dos seus componentes e, se analisarmos as campanhas de publicidade dos cosméticos nos últimos 20 anos, a vitamina C é quase omnipresente.
"A vitamina C é o antioxidante mais poderoso que se conhece para a pele. Tem a capacidade de proteger ou atenuar os efeitos negativos dos raios UVB, UVA e também os raios infravermelhos", confirma Jean Krutmann, professor de Dermatologia e director do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Dusseldorf.
O ser-humano precisa desta vitamina, mas não a consegue produzir. Entram em cena os citrinos e outros alimentos ricos em vitamina C, os suplementos alimentares e uma dose de cremes e séruns. Jean Krutmann estuda os danos que os factores ambientais (UVA, UVB, infravermelhos) causam na pele. A investigação cosmética já tinha provado que a vitamina C - também conhecida por ácido ascórbico - é fundamental para a produção do colagénio e da elastina, que ajuda a prevenir a perda de água e tem ainda a capacidade de "desactivar" os radicais-livres antes de causarem danos à pele. Ao estimular a síntese e a produção de melanina, a vitamina C consegue ainda aclarar as manchas escuras na pele.
Com este potencial, percebe por que é que a indústria cosmética "venera" a vitamina C. "Para a sua utilização em cosmética ser eficaz, o truque é arranjar uma boa combinação entre a vitamina C e os restantes ingredientes para potenciar as suas acções", explica o especialista, que exemplifica: uma das melhores combinações é a que reúne a vitamina C com a E e com o ácido ferúlico. Nesta sinergia, crê Krutmann, está o futuro. "Assim pode diminuir-se a concentração da vitamina C nos produtos cosméticos e fazer com que eles sejam mais bem tolerados pela pele, para além de baixar os custos de produção dos cosméticos e torná-los mais baratos para os consumidores."
Vitaminas segundo a idade
A dose diária de vitamina C recomendada para os homens com idades entre 19 e os 70 anos é de 90 miligramas/dia e, para as mulheres da mesma faixa etária, a dose é de 75 miligramas. Ora, para se chegar à dose recomendada de vitamina C, tem de se consumir, em média, uma laranja e meia por dia.
Por ser uma vitamina muito instável - que reage ao calor, ao ambiente e à luz -, só o simples acto de cortar uma laranja já faz com que se perca alguma percentagem de vitamina C. "O maior problema da vitamina C é que oxida muito depressa. Por isso, teve de se encontrar uma forma de prevenir/retardar a oxidação - até porque, se ela oxidar antes de entrar nas células da pele, o efeito pode ser adverso.
Os maiores passos para potenciar a penetração da vitamina C foram dados pelo dermatologista e investigador Sheldon Pinnel, da Universidade de Duke, nos EUA. Foi o pioneiro na estabilização da vitamina C, que garante a acção do produto, e conseguiu associá-la a outros antioxidantes. Sheldon Pinnel criou a sua própria marca de dermocosméticos - a SkinCeuticals, fundada em 1997, chegou a Portugal no último trimestre de 2011 e aposta na prevenção, na protecção (para uma pele saudável) e na correcção (dos sinais visíveis de danos ou envelhecimento) com um ingrediente-chave: a vitamina C.
"Ao associar na mesma fórmula activos antioxidantes muito potentes (a vitamina C pura, por exemplo) e uma acção sinérgica comprovada (entre a vitamina C pura, a vitamina E pura e o ácido ferúlico), os estudos mostram que a pele pode não só compensar o seu próprio défice de antioxidantes, como estimular os mecanismos de autodefesa para neutralizar da melhor forma os radicais livres, chegando mesmo a reparar as lesões existentes", diz o director de produto da SkinCeuticals em Portugal, Pedro Perpétua.
Conselhos finais: "Começar aos 17 anos é o ideal; aos 35, já vai tarde porque as rugas e as manchas de melanina já se estão a desenvolver", frisa Krutmann; "Se não teve demasiada exposição ao sol, um produto de tratamento diário, com um SPF 20, é suficiente. Se for uma pessoa mais exposta ao sol, tem de usar um factor de protecção maior. Se fizerem isto, quando chegarem aos 50/60 anos, vão parecer muito mais jovens."